CBLOL: Robo: “Daqui pra frente é outro campeonato”

robo

Neste sábado (13), o primeiro dos três turnos do CBLOL chegou ao seu final. Nele, foi possível assistir o clássico paiNTZ, que protagoniza o duelo de duas das maiores organizações do cenário de LoL, paiN e INTZ. O top laner da equipe da paiN, Robo, concedeu entrevista coletiva à imprensa de forma remota.

O top laner começou a coletiva falando sobre o desempenho da equipe. “A gente teve bastante dificuldade para se encaixar. Eu diria que conseguimos nos encaixar somente essa semana, e não conseguimos mostrar o quanto que evoluímos no jogo do CBLOL. Sabemos que conseguimos atingir um nível muito maior do que o apresentado por conta do nível dos treinos, então a gente tá bem confiante pro restante do campeonato. Até aqui foi bem complicado, eu pessoalmente não esperava um 4/5 e com certeza esperava a gente, no mínimo, em um terceiro lugar. Estamos em sexto, o campeonato é longo e o que importa é a evolução e acredito estarmos em uma boa caminhada. É ruim perder, mas é bom ter esse tempo pra evoluir e melhorar“.

Seguidamente, Robo falou sobre seu desempenho individual e críticas da torcida. “Esse split estava bem complicado e eu estava sendo bem criticado. A galera aqui do Brasil está acostumada com os top laners em geral só dando counter pick e com o jungler parado 24 horas no top, acabando se importando muito com KDA. O público daqui não entende muito de pressão de jogo, pressão de mapa, pressão de lane, etc. Não culpo o público pois é algo difícil até para nós profissionais vermos. É difícil ser weak side e ser impactante sem chamar atenção, mas já estou acostumado. Já fui strong e weak side, chamado de god e de lixo, então não é algo que me afeta mais tanto. Eu me importo com a torcida, gosto que torçam pra mim, mas quando começa a virar ofensa e críticas muito pesadas eu meio que ignoro. Eu e meu time sabemos do que eu consigo ajudar e como eu agrego para um time e para mim isso já é suficiente, se eu estiver vencendo não estou nem aí“.

robo
Robo foi alvo de críticas da torcida no início deste split (Reprodução: Twitter/Robo)

Ainda sobre o desempenho da equipe no CBLOL, Robo falou sobre o primeiro turno e o que espera para o segundo. “Nosso primeiro turno não foi bom, tivemos muita dificuldade pra entrar na mesma página e de como todo mundo quer ver o jogo. Querendo ou não, quando você troca uma engrenagem você muda a peça, então a gente precisou se adaptar novamente e entender um ao outro. Eu diria que começamos a nos entender de verdade nesta última semana, acho que todo mundo está na mesma página e jogando o jogo igual, daqui pra frente a gente tem tudo pra ir melhor. O primeiro turno foi complicado, fazia muito tempo que eu não perdia tanto assim na fase de grupos, mas daqui pra frente é outro campeonato pra nós“.

Para Robo, a paiN teve uma evolução drástica na última semana de treinos, e explicou os motivos de achar isso na coletiva. “Na minha opinião evoluímos muito em pensar igual dentro de jogo. Quando você tem jogadores que pensam diferente sempre acaba acontecendo coisas esquisitas. Por exemplo: eu penso em dar dive no top, o Tin no mid e o brTT no bot. Sempre fica confuso não sou na comunicação, mas o jeito que você precisa controlar sua wave, o jogo e onde o CarioK vai precisar estar no mapa. Querendo ou não, quando os jogadores estão encaixados, se for uma call teoricamente errada mas que os cinco façam de maneira certa, tem mais chances de dar certo, era algo que estávamos pecando muito“.

Para finalizar, Robo falou sobre o que os jogadores sentiram nessas últimas quatro derrotas que a equipe sofreu. “É muito frustrante saber a qualidade que você tem, a gente sabe que todos jogadores do nosso time são muito bons e estar perdendo do jeito que estava sendo, algo estava muito errado. Eu sei que a torcida cobra muito da equipe, mas às vezes esquecem que o jogador se cobra tanto quanto e na minha opinião até mais do que a torcida. Estávamos nos cobrando e ficávamos nos perguntando o que estava acontecendo. Isso é algo que pesa no psicológico, pois você sabe que é melhor que aquilo e não consegue desempenhar. Isso nos deixou um pouco abalados sim, mas conversamos com psicólogo e percebemos que estávamos afetados, foi quando sentamos e conversamos até nos encontrarmos na mesma página. Na minha opinião, daqui pra frente é só melhora“.

O próximo compromisso da paiN no CBLOL será neste domingo (14), no último jogo do dia, contra a LOUD. O confronto está marcado para às 17h do horário de Brasília.

Siga o Baserush no Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as informações do campeonato. Também estamos na Twitch!