Como se proteger contra lesões comuns nos Esports

Eventualmente nos deparamos com notícias de que jogadores estão sendo afastados por conta de lesões. O caso nacional mais recente disso é o de Hauz, da INTZ, que foi diagnosticado com tendinopatia de extensores e consequentemente teve de ser afastado do time para poder cuidar de sua lesão. É nessa hora que o trabalho dos fisioterapeutas se mostra extremamente importante para a recuperação do atleta, e não só na recuperação, mas também na prevenção para que outras lesões não ocorram.

Através do acompanhamento de um profissional da área, o atleta pode em pouco tempo se recuperar e voltar a competir. Mas e nós, jogadores casuais? O que podemos fazer para nos cuidar e evitar essas lesões? Foi com isso em mente que batemos um papo com o fisioterapeuta Vitor Kenji (que já apareceu aqui no Baserush anteriormente), responsável por cuidar dos atletas das organizações LOUD, Prodigy e Team Liquid.

Entendendo as lesões

No que diz respeito a como esses tipos de lesões dentro do universo de esports surgem, Vitor comenta sobre a postura errada adotada pelos jogadores e como isso pode levar a uma possível tendinite, por exemplo.

“A postura inadequada irá gerar uma sobrecarga não só no lugar, mas também em todo trajeto da estrutura, um exemplo, se o jogador fica com o ombro muito projetado pra frente, ele irá sobrecarregar o cotovelo e o punho, gerando um impacto maior nos tendões, e não na musculatura, podendo consequentemente inflamar o tendão, causando a famosa tendinite”, comenta o profissional.

A postura é algo que quase todas as pessoas que passam horas em frente ao computador, seja pra jogar, trabalhar ou fazer qualquer outra coisa, sofrem para conseguir corrigir, mas algo extremamente importante e que deve ser levada a sério.

Mas não é apenas a postura que influencia nas lesões, segundo Vitor, outro fator que colabora muito no surgimento de contusões é a intensidade dos movimentos repetitivos que fazemos enquanto estamos jogando. “Em relação a movimentos x lesão, o que causa a lesão não é o movimento e sim a intensidade por longos períodos fazendo o mesmo movimento. Por isso que fazer pausas entre um jogo e outro, e colocar um programa de alongamentos durante o dia são importantes”.

Reforçando a importância de fazermos pausas durante os jogos, o profissional Felipe Moreira, personal da equipe Team Liquid aqui no Brasil, divulgou uma imagem em seu Twitter com alguns alongamentos que podem ser feitos durante o dia por qualquer um e que ajudam a evitar problemas futuros.

O alongamento

Muitas pessoas não se alongam pois acham que não ajudará ou simplesmente por terem preguiça de levantar e fazer estes movimentos repetidamente por um certo tempo. No entanto, estes são provavelmente os exercícios que mais ajudam no combate contra as temidas lesões. Segundo Vitor, “os alongamentos são importantes pois trazem vários benefícios, como: redução de tensões musculares, aumento da flexilibilidade dos músculos, fazendo com que os movimentos fiquem mais soltos, prevenção de lesões, ativa circulação etc.”

Ou seja, os alongamentos, além de prevenirem contra possíveis danos, trazem uma série de benefícios para o nosso corpo, além de ajudar na própria movimentação do corpo, o que pode ser um benefício para jogadores de FPS por exemplo, que fazem o uso constante do ombro e do punho para controlar a mira.

A importância do acompanhamento profissional

Mas, apesar de serem exercícios simples, eficazes e que qualquer um pode fazer em casa, é sempre bom lembrar que devemos tomar muito cuidado quando formos realizá-los. Existem sempre dois lados da mesma moeda e fazer alongamentos de forma errada pode tornar os benefícios em prejuízos.

“No começo, principalmente se a pessoa for sedentária, alongar será uma tarefa muito difícil, pois, além da dificuldade em realizar o alongamento, a pessoa sentirá um incomodo na musculatura que estará alongando. Então, tem que tomar muito cuidado na hora de fazer os alongamentos, sempre respeitando os limites do corpo, porque se a pessoa alongar além do que ela está acostumada, poderá causar uma lesão no músculo, como um estiramento muscular”, complementa Vitor.

Além disso, o profissional enfatiza a importância de sempre buscarmos um acompanhamento profissional, para que, na ideia de estarmos combatendo o surgimento de lesões, não acabemos nos lesionando durante um alongamento.

“O que eu oriento, principalmente aos jogadores casuais, é procurar um profissional antes de fazer qualquer exercício por conta própria”, recomenda.

Modalidades e suas lesões

Cada gênero de jogo traz suas estratégias, mecânicas e modo de jogar, consequentemente os movimentos realizados enquanto jogamos serão diferentes. Por exemplo, em um MOBA, como o League of Legends, fazemos mais o uso do punho e de cliques repetitivos no mouse. Já em um FPS, como CS:GO e Rainbow Six Siege, fazemos um uso maior do ombro e do punho.

“Nesses 3 anos convivendo com times de esports, posso falar que cada modalidade tem sua queixa de dor principal. MOBA: dor em dedo indicador, dedo médio, mão e punho. FPS: dor em punho, cotovelo e ombro. Mobile: dor em região cervical, ombro, cotovelo e dedo polegar”, comenta Vitor Kenji.

Vitor Kenji ao lado de Pbo durante sua passagem pela CNB. (Foto: Riot Games)

Contudo, apesar de serem modalidades diferentes, com movimentos diferentes e com todos esses fatores distintos, existe um tipo de dor que aparece em todas as modalidades. “Apesar de todas as modalidades, os jogadores tem como queixa principal a dor na coluna”, diz o fisioterapeuta. Então é sempre bom lembrar de ficar em uma postura adequada para não sobrecarregar sua coluna e fazer uma pausa para se alongar de tempo em tempo.

Acompanhe o Baserush nas redes sociais e fique por dentro das novidades do mundo dos Esports.