Esports: “Ainda não sabemos se vamos dar continuidade ao League of Legends” afirma Samuel Walendowsky, CEO da Havan Liberty

A Havan Liberty não conseguiu vaga nas franquias do CBLoL 2021 e teve de alterar alguns planejamentos para a próxima temporada. A equipe agora volta suas atenções para os jogos de FPS, que serão o carro chefe da organização para 2021.

Imagem
Havan não foi selecionada para as franquias do CBLoL 2021 (Reprodução: Havan Liberty)

O Baserush conversou com o CEO da Havan Liberty, Samuel Walendowsky, sobre o futuro da equipe tanto no cenário competitivo de League of Legends, como em outras modalidades que a Liberty irá atuar em 2021.

Sobre a não escolha da Havan como uma das 10 franquias do CBLoL, Samuel diz que foi pego de surpresa, já que havia uma grande confiança no projeto apresentado para a Riot Games.

Ficamos alguns dias tentando entender o porquê não tínhamos conseguido a vaga, o League of Legends sempre foi nosso carro chefe, então tínhamos um carinho especial pelo CBLoL e estávamos bastante confiantes na conquista da vaga. Outros CEO’s até vieram depois conversar comigo, e demonstraram tanta surpresa quanto nós na não escolha da nossa organização” conta.

A Riot chegou a se reunir com o staff da Havan e das outras equipes não escolhidas alguns dias após a divulgação das 10 franquias. “Nós tivemos uma reunião de Feedback com a Riot, eles explicaram pra gente quais foram os pontos que culminaram para a não escolha do nosso projeto, mas não podemos entrar em mais detalhes relacionados ao motivo da não escolha” explica Samuel.

Sobre o futuro da Havan Liberty no League of Legends, Samuel ainda afirma incerteza, principalmente por conta das condições que são jogados os campeonatos de tier menor. “Nós estamos pensando nos próximos passos que iremos dar, não sabemos ainda se vamos continuar com a modalidade em competições de tier mais baixo, a gente ainda está tentando entender como será o cenário amador, se a Riot irá fazer algo parecido com o EU Masters, mas acredito que seja difícil acontecer no Brasil principalmente pelos problemas de conexão que algumas regiões do país sofrem. Creio que caso chegue a acontecer, seja algo de maneira terceirizada, como foi a Superliga”.

Samuel ainda complementa falando se a Liberty tentaria ou não uma vaga no CBLoL numa possível oportunidade futura: “Se fizer sentido para o momento iremos nos candidatar e tentar a vaga novamente, mas isso tudo depende do mercado, do que nossa marca vai estar buscando no momento e coisas afins, que irão culminar para nossa futura decisão, caso haja a oportunidade”.

Havan Liberty focará a organização nos jogos FPS (Reprodução: Havan Liberty)

Em relação ao crescimento da organização em outros jogos, Samuel deixou claro que o carro chefe da Havan será o cenário de FPS. Hoje a Liberty conta com equipes de CS:GO e Valorant, e pensa em expandir a marca para o cenário de Rainbow Six e Free Fire.

Nós temos atualmente a segunda melhor equipe brasileira de CS:GO, somente atrás da BOOM!, estamos no First Strike de Valorant, pretendemos entrar no cenário de Rainbow Six, assim como também queremos entrar no de Free Fire. O Free Fire nós temos analisado como será a nossa entrada, contratamos um manager pra modalidade e estamos avaliando como faremos esse acesso ao competitivo. Temos conversado com algumas organizações da Série B da LBFF para ver e tentar um possível apadrinhamento, e se surgir alguma proposta de equipe da série A que seja vantajosa a gente pode também sentar e conversar, então a gente ainda ta avaliando as possibilidades pra poder entrar no cenário”.

Quanto a outros jogos de menor público, a Havan Liberty também pretende continuar sua expansão, atualmente a equipe conta com atletas de Teamfight Tactics e Fifa 21.

Nós estamos desde o começo apostando nos meninos dessas modalidades que tem um público menor, e não apenas contratando depois que a pessoa conseguiu conquistar vaga em qualificatórios e afins. Obviamente que todos querem disputar títulos, faz parte do processo de todo atleta, porém a gente preza em primeiro lugar o desenvolvimento do nosso jogador.

Samuel ainda comentou sobre o moderno Gaming Office que a Havan Liberty terá em São Paulo, “A ideia é centralizar todas as ações no nosso Gaming Office, estamos construindo uma ampla estrutura, com 8 salas de treinamento, alojamento com 30 dormitórios, prezando muito pelo desenvolvimento dos nossos atletas. O alojamento vai ser para aquele player que prefere ficar no nosso CT, ninguém será obrigado a dormir ali por que entendemos que alguns preferem sua casa, o seu espaço”.

A Havan Liberty disputaria as quartas de final do First Strike nesta sexta-feira (04), em partida contra a Vorax, porém com a desclassificação da equipe adversária por conta da Covid-19, a Liberty avançou diretamente para as semifinais, e enfrentará o vencedor do confronto entre paiN Gaming e Imperial Esports.

Siga o Baserush no Instagram e no Twitter e fique por dentro de tudo. Também estamos na Twitch!