CS:GO: MIBR e FalleN estão negociando rescisão de contrato

O futuro de FalleN para 2021 parece se encaminhar cada vez mais, e certo é que o experiente jogador brasileiro não continuará na MIBR na próxima temporada. FalleN e a organização estão, ao que o Baserush apurou, em negociações para a rescisão de contrato do capitão.

Segundo o que o site apurou, as negociações estão tendo um atraso por conta das questões que envolvem o jogador com a Immortals Gaming Group. Assuntos burocráticos como o assunto da Gamers Club, hoje parte da IGC, que FalleN detém certa parte. Por conta disso a negociação está em um lento processo, além do fato de que a IGC deseja ganhar algum dinheiro com possível venda do jogador.

O jogador tem hoje vários caminhos por optar, um deles sendo ao lado de fer, seu antigo companheiro de time. Em um trecho da livestream de fer, o jogador declara que a intenção de ambos é continuar jogando juntos na próxima temporada.

De acordo com o que a Globo apurou, fer encontra-se sem contrato com a MIBR, já tendo sido selecionado para treinar com a BOOM na vaga de felps, que estaria possivelmente envolvido com o projeto do treinador dead, podendo confirmar os rumores inicialmente informados pelo The Clutch. Segundo o portal Draft5, os jogadores atuais da BOOM terminam contrato em fevereiro e estudam não renovar contrato com a organização.

FalleN e fer poderiam entrar no projeto que contêm atualmente os jogadores da BOOM com exceção de yeL, juntando a dupla com boltz, shz e chelo, conforme vazado pelo bloco de notas do FalleN em stream. Na época, o jogador confirmou a autenticidade do vazamento, mas disse que não passavam de planos e que tudo ainda estava muito distante.

Ainda como possibilidade, existe a opção da dupla brasileira se juntar ao trio da Godsent formado por zehN, STYKO e maden, assim como também vazado em live de FalleN.

A equipe da Godsent estaria mudando de organização para a FunPlus Phoenix, conforme apurado pelo Baserush a confirmação do general-manager da organização sobre a troca. Caso os brasileiros se juntem aos europeus, é provável que os jogadores defenderão a bandeira da organização chinesa.