CSGO: Guerri promete fazer rivais “sangrarem” para vencer a FURIA

foto perfil guerri

A FURIA vai estrear no PGL Major Stockholm neste sábado (30) contra a Astralis, que apesar de ter ficado a um jogo da eliminação no Challenger Stage, se recuperaram vencendo três jogos na sequencia e garantiram a classificação para o Legends Stage. Esse será o terceiro major da organização brasileira que em 2019 participou da IEM Katowice Major e StarLadder Berlin Major. Em entrevista coletiva, Nicolas “guerri” Nogueira explicou que vê a participação da FURIA de duas maneiras, o seu lado torcedor diz que a equipe “vai estourar a boca do balão” indo para cima de seus adversários, mas seu lado profissional diz que a equipe irá com maior cautela, mas garantiu que vai fazer seus rivais “sangrarem para vencer a FURIA”.

Guerri ainda explicou se ele acha essa FURIA mais preparada para o major: “Em 2019 aparecemos para o grande público e grandes times, quando você joga um major sendo inexperiente você consegue surpreender mais, nesse major somos um time mais consolidado, passamos o último ano sendo top 10 praticamente o ano inteiro então é mais difícil surpreender seus oponentes, mas temos atualmente quatro jogadores experientes então temos que entrar amanhã para ver como vai ser”, comentou.

Preparação com Tacitus

Além de Guerri, Marcos “tacitus” Castilho também esteve na entrevista coletiva e explicou como ele vê o fato da Astralis, primeiro adversário ter perdido dois jogos e se isso aumentaria a confiança da FURIA.

“Alterar confiança não, não pensamento em quem pegar porque pensamos apenas no nosso jogo, Astralis está mais instável porque o Lucky está no lugar do dev1ce mas não muda muito porque quem está aqui [na fase Legends] é porque merece”, comentou.

foto dos jogadores brasileiros da fúria
FURIA é o único time com line-up 100% brasileira que ainda está no major. Foto: Divulgação

Tacitus ainda deixou a sua opinião sobre as regras da Valve em relação aos coachs, que estão proibidos de tocar os jogadores ou comemorar.

“O que o coach tem que mudar estrategicamente é através da utilização do pause e isso permanece, faz uma pequena diferença você dar um tapa no ombro do jogador quando ele está frustrado, mas que apesar da mudança chata o que resta é se adaptar o mais rápido possível”, relatou.

Tacitus entrou em abril para a equipe da FURIA como Assistant Coach, porém devido ao banimento de Guerri do major ele ficará atrás dos jogadores no suporte, e comentou sobre como é fazer essa substituição.

“Estamos lidando da melhor maneira possível, tenho diversas conversas com o Guerri e meu objetivo é fazer com que eles não sintam nenhuma diferença, temos uma linha de pensamento parecida. A substituição tem um gosto doce porque minha primeira lan vai ser o major, mas ao mesmo tempo um gosto amargo porque o Guerri merecia estar com os meninos nessa vaga de legends”, finalizou.

Siga o Baserush no Twitter e no Instagram e fique por dentro de tudo!